Artigos

iocb

(11) 5538-0011

O que é?

A artroscopia é um tipo de procedimento cirúrgico realizado nas articulações do corpo. O nome artroscopia está relacionado ao equipamento que é utilizado durante o procedimento, chamado de artroscópio, que permite olhar todas as estruturas que compõem o interior da articulação por meio de uma câmera de vídeo e realizar toda a cirurgia através de um monitor. A introdução do artroscópio é feita por meio de uma pequena incisão e a principal vantagem da artroscopia é que se trata de um procedimento pouco invasivo, que preserva estruturas nobres e tem rápida recuperação. O risco de infecções é muito pequeno e as cicatrizes são pouco visíveis.

Quando é preciso realizar o procedimento?

A artroscopia é principalmente utilizada para o tratamento de lesões intra-articulares – ou seja, que ocorrem no interior de uma articulação – e que não podem ser tratadas apenas com medicamentos e fisioterapia. As indicações mais comuns são para lesões de cartilagem, meniscos e ligamentos – principalmente no joelho, ombro, quadril e tornozelo – além de reparo de tendões, no tratamento de instabilidades, de artrites, ligamentos rompidos, fragmentos de ossos, e ainda outras doenças que podem afetar essas estruturas internas da articulação.

Em alguns casos, a artroscopia pode ser utilizada também para identificar causas de dores, edemas e inflamações na articulação e o real local que foi afetado, quando não for possível fazer o diagnóstico apenas com a ajuda do exame físico realizado pelo médico ortopedista e de outros exames complementares – como o raio X, ressonância magnética, entre outros.

Em caso de dor, incômodo ou qualquer suspeita de lesão em uma articulação, é muito importante que o paciente procure de imediato por um médico ortopedista. Apesar de se tratar de um procedimento pouco invasivo e de fácil recuperação, muitas vezes a artroscopia pode ser evitada em casos mais simples – que podem ser tratados apenas com medicamentos e fisioterapia.

Como é feito o procedimento?

O procedimento deve ser sempre realizado por um cirurgião ortopedista, de preferência especializado na articulação que será operada, junto de uma equipe cirúrgica. O médico cirurgião deverá orientar o paciente em relação a todos os cuidados pré e pós-operatórios, além de solicitar uma série de exames antes da cirurgia para garantir a completa segurança do paciente.

Quanto a anestesia, o próprio anestesista discutirá a melhor opção com o paciente e o médico cirurgião. Geralmente, é utilizada a anestesia geral apenas na cirurgia de ombro e na cirurgia de quadril. Quando se trata de cirurgia de joelho, cirurgia de tornozelo ou de outras articulações localizadas nos membros inferiores, é aplicada anestesia peridural ou raquidiana.

Também dependendo do local a ser operado, pode ser necessário ou não o uso de um torniquete a fim de diminuir o fluxo sanguíneo para que ele não atrapalhe a visão da câmera. Com uma pequena incisão no local da articulação, é inserido o artroscópio – que nada mais é do que um fino tubo equipado com luz e uma câmera de vídeo, que permite que o médico veja todo o interior da articulação e as estruturas que o compõem, assim como o local afetado, por meio de um monitor. Todo o procedimento da artroscopia é realizado através desse monitor, sem envolver maiores cortes. Dependendo do reparo necessário ou do tipo de procedimento, podem ser utilizados outros instrumentos cirúrgicos que serão inseridos da mesma forma, por meio de outras pequenas incisões na pele.

Na maioria das vezes, a artroscopia envolve também o uso de um fluído ou solução de irrigação – que costuma ser soro fisiológico – para lavar a articulação, expandir o espaço e até permitir uma melhor visão durante o procedimento. No caso de artrites, a solução tem ainda o efeito de aliviar os sintomas por um período de meses.

Toda a artroscopia pode durar entre 15 minutos até mais de uma hora, dependendo do objetivo e da área afetada. Após a conclusão da cirurgia, os instrumentos serão retirados e as incisões serão cobertas com um curativo esterilizado.

Como é o pós-operatório?

O pós-operatório da artroscopia costuma ser bem tranquilo e com rápida recuperação. Na maior parte dos casos, o paciente recebe alta no mesmo dia em que a cirurgia é realizada, raramente apresentando complicações.

Nas primeiras semanas, é normal que o paciente sinta algum inchaço ou desconforto na região operada, apesar de as incisões em si serem praticamente indolores. O médico poderá indicar algum medicamento analgésico a fim de aliviar esse possível desconforto.

Em cirurgia de tornozelo, joelho ou quadril, o médico ortopedista costuma recomendar o uso de muletas; enquanto que em cirurgia de ombro ou cotovelo, por exemplo, será necessário o uso de uma tipoia.

O período de repouso e imobilização pode variar de acordo com a articulação e com cada caso. É muito importante, porém, que o paciente seja acompanhado pelo médico ortopedista durante toda a recuperação e siga atentamente as indicações. Além do repouso, também é essencial a realização de sessões de fisioterapia, que vão auxiliar na recuperação completa da articulação e no retorno para as atividades normais.

Responsável Técnico

Dr. Paulo Facciolla Kertzman
CRM: 57.367
Ortopedia e Traumatologia

Endereço

R. Dr. Jesuíno Maciel, 1610
Campo Belo – São Paulo (SP)
CEP 04615-004

Tel: (11) 5538-0011

Horário de funcionamento

Segundas às Sextas-feiras: 8h00 às 19h00
Sábados: 8h00 às 13h00*

*Verifique disponibilidade